Alerta de Dengue no Sul de Minas

Algumas das cidades com maior número de casos prováveis de dengue em 2019 no Sul de Minas já têm registros que superam os dos últimos cinco anos. Na região, em pelo menos quatro cidades com situação mais crítica de casos de dengue, esta é a realidade.

Segundo Janaina Fonseca Almeida, diretora de Agravos Transmissíveis da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, são vários os fatores que levaram os municípios do estado a enfrentarem mais um ano difícil no combate à dengue. 

“Tem a questão do município não ter feito as ações que deveria em época de prevenção, mas também a mudança de perfil epidemiológico que a gente viu em todos os locais do estado. Foi comum em vários locais que não tinham esses acontecimentos de casos e estão com o número bem maior”.

A Secretaria de Estado de Saúde tratou 2019 como um ano epidêmico, com os registros em época mais prolongada que o usual, e 2020 não será diferente, porque algumas cidades já estão em alerta.

Alerta para 2020

“Por causa da chuva e do calor, Minas Gerais entra em novo alerta”, frisou Márcia Ooteman, coordenadora do Programa Estadual de Doenças Transmissíveis pelo Aedes, da SES. Ela reforça que, a partir de dezembro(refletindo o ano de 2020), começa um novo ciclo do vírus. Apesar dos elevados números de outubro, a servidora disse que os registros de dengue vêm caindo desde junho.

Minas Gerais é o Estado campeão em notificações de dengue em 2019, conforme o Ministério da Saúde.

O que pode mudar?

Segundo a diretora, com a chegada do inverno, o momento é de planejamento das prefeituras e setores de saúde para frear os casos de dengue, já de olho em 2020. “Agora é a hora da fase de preparação, de organização para a epidemia que virá no ano que vem se as ações não forem realizadas de forma correta. Então, todo o trabalho dos agentes de combate às endemias é importantíssimo de eliminação dos focos”.

Outro ponto é a mobilização dos moradores. “80% dos focos estão dentro dos domicílios. Então é necessário o trabalho tanto dos agentes, quanto a mobilização social”.



Cuidados dentro das casas e apartamentos:
Tampe os tonéis e caixas d’água;
Mantenha as calhas sempre limpas;
Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
Mantenha lixeiras bem tampadas;
Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa.
Na área externa de casas e condomínios, cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;
Limpe ralos e canaletas externas;
Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;
Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;
Verifique instalações de salão de festas, banheiros e copa.



Mobilize sua família e elimine a água parada, ajudando a combater os focos do Aedes aegypti!
Tecnologia do Blogger.