Como nasce um paradigma?



Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula. Dentro dela tinha uma escada com um cacho de bananas. Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jato de água fria nos que estavam no chão.

Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros batiam nele. Passado mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.

Então, os cientistas substituíram um dos cinco macacos. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada. Os outros, rapidamente, retiraram ele de lá e deram a maior surra. Depois da pancadaria, o novo integrante não mais subia a escada. Um segundo foi substituído, e o mesmo ocorreu.

Tem um detalhe: o primeiro substituto participou, com entusiasmo, da surra ao novato. Um terceiro foi trocado, e repetiu-se o fato. Quando, finalmente, o último dos veteranos foi substituído, os cientistas ficaram, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse chegar às bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles porque batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: "não sei"!

As coisas sempre foram assim por aqui no nosso meio, quantas vezes as pessoas batem sem nem saber por que, falam sem conhecer, julgam simplesmente por que acompanham o boato de outras pessoas.

Cuidado, antes de julgar um produto, conheça primeiro. Antes de emitir a opinião sobre alguém ou alguma coisa tenha o cuidado de saber sobre quem e sobre o que está falando. Antes de falar mal de algum lugar, visite-o. Antes de comprar alguma coisa, veja se realmente é necessário. Antes de agir pense nos resultados da sua ação. Antes de julgar conheça os fatos, ouça as partes envolvidas. Não julgue a situação antes de conhecer. Não fale do outro sem nunca ter trocado uma palavra com ele.



Pense nisso: “Deduzir nem sempre é interpretar a verdade dos fatos. É um pré-julgamento de certezas alheias” – (Monique Frebell)
Tecnologia do Blogger.