Clínicas onde dentista está com suspeita de Coronavírus são interditadas no Sul de Minas

Mais duas clínicas onde dentistas com suspeita de coronavírus mantiveram atendimentos aos pacientes foram interditadas na manhã deste sábado,  18 de abril, em Santa Rita do Sapucaí-MG e Congonhal-MG. A primeira unidade onde os profissionais atendiam havia sido interditada na noite de sexta-feira, 17 de abril em Pouso Alegre-MG.

Fonte: Prefeitura de Santa Rita do Sapucaí-MG

Uma das dentistas, segundo a prefeitura de Pouso Alegre, tinha sido orientada a ficar em isolamento domiciliar, por ser considerada caso suspeito de coronavírus. No entanto, ela descumpriu a ordem e foi trabalhar. Um dos colegas dela também é considerado caso suspeito.

A interdição na clínica em Santa Rita do Sapucaí neste sábado foi feita por agentes da Secretaria Municipal de Saúde e da Vigilância Sanitária. O local foi aberto por uma funcionária, que entregou as fichas de pacientes que foram atendidos no local nos últimos dias.

Já em Congonhal, a clínica no Centro da cidade tinha atendimento da dentista todas as quintas-feiras. Fiscais de postura da prefeitura ao lado de agentes da Secretaria Municipal de Saúde e da Vigilância Sanitária estiveram no local no fim da manhã deste sábado, onde fizeram a interdição.

Com autorização do dentista responsável, a secretária passou a listagem dos atendimentos feitos durante a semana.

Um boletim de ocorrência foi registrado na sexta-feira e a dentista pode responder por crime à saúde pública. Em Pouso Alegre, a Polícia Militar deu apoio às equipes da Vigilância Sanitária.

"A polícia compareceu ao local e os fiscais da vigilância fizeram os trabalhos na clínica. A princípio, pelo que a Vigilância Sanitária detectou, seria um descumprimento de ordem que está previsto no código penal. Nós fizemos registro de ocorrência e ela foi encaminhada ao órgão competente", explicou o tenente Giovani Casagrande da Silva.

Revolta de pacientes

Assim que a Prefeitura de Pouso Alegre publicou uma nota sobre o caso nas redes sociais, alguns pacientes se manifestaram sobre os atendimentos. Alguns reclamaram de irresponsabilidade dos profissionais.

Pacientes reclamam de clínica em Pouso Alegre-MG pelas redes sociais — Fonte: Reprodução/EPTV

Um dos pacientes enviou um vídeo à produção da EPTV, afiliada da Rede Globo, comentando o caso. Juninho Nascimento contou que é paciente na clínica de Pouso Alegre há muito tempo e que está surpreso com a situação.

"É uma atitude irresponsável que tiveram, sabendo que não estavam aptos ao trabalho. Não sei qual foi a decisão deles para retomar o trabalho, não estou aqui para julgar isso. Cabe aos órgãos competentes. Mas foi uma atitude de má fé que tiveram com os pacientes. Uma atitude que pode acarretar sérios problemas para os pacientes e para a população pousoalegrense", disso o operador de produção.

"Com isso, é um susto muito grande, estou bem assustado. Mas a partir de hoje estou de quarentena, pessoas ligadas por mim que eu trabalho também estão, esperando os órgãos responsáveis para ver a triagem que será feita com a gente até o momento".










Monitoramento 

Segundo a Prefeitura de Pouso Alegre, as pessoas que foram atendidas no consultório serão monitoradas pela Secretaria de Saúde. A lista dos atendidos foi recolhida na clínica interditada e a prefeitura deve entrar em contato com todos.

As pessoas também podem entrar em contrato com a secretaria para pelo WhatsApp (35) 9 9235-1017 ou pelo telefone (35) 3449-4913. O número também recebe denúncias de irregularidades na cidade.

Em Santa Rita do Sapucaí, a prefeitura pede que a população não entre em contato por telefone para não sobrecarregar as linhas. A orientação é que os agentes de saúde entrem em contato com cada um dos pacientes.

Ao todo, 125 pessoas da cidade serão monitoradas pela Secretaria Municipal de Saúde. A prefeitura disse que o monitoramento dos pacientes começou de forma imediata após a interdição da clínica. Além dos 125 pacientes, outras 11 pessoas estão em monitoramento por suspeita de Covid-19 na cidade.

Em Congonhal, segundo a prefeitura, os pacientes atendidos serão monitorados através da lista telefônica recolhida na clínica. Os que apresentarem sintomas serão colocados em isolamento social por 14 dias. Os sem sintomas deve ficam em isolamento por sete dias.
Tecnologia do Blogger.