Alinhamento raro de Saturno e Júpiter marca era de Aquário

Nesta segunda-feira, 21 de dezembro de 2020, um fenômeno astrológico raro promete trazer dar uma verdadeira sacudida no mundo e na humanidade. A conjunção entre Júpiter e saturno, os dois maiores planetas do sistema solar, dá início à tão esperada Era de Aquário, quando o Sol nasce à frente da Constelação de Aquário, vista como um período de intensas transformações e esclarecimentos.


O alinhamento de Saturno e Júpiter na História

A última conjunção entre esses dois gigantes ocorreu no ano 2000, quando os dois planetas estavam em Touro. Foi um ano caracterizado pela tão temida virada de milênio e do estouro da bolha da Internet. Pouco antes do estouro acontecer, as ações de empresas atingiram valores estratosféricos. Muitas companhias quebraram e outras ganharam ainda mais poder.

A segunda explicação importante: a última vez que ocorreu Saturno em Aquário foi entre 1991 e 1993. Um período de intensas mudanças, com um novo redesenho do mundo. Aquário é o signo da revolução, e Saturno o planeta dos desafios. Nessa fase, países se tornaram independentes (como a República Checa e a Croácia), criou-se a União Europeia e o Mercosul e ocorreu o chocante desmembramento da União Soviética. De fato, o cenário geopolítico mundial mudou muito.

A última vez em que Júpiter esteve Aquário foi em 2009. Júpiter é aquele que expande, inova. Aquário também é dado a inovações e modernizações. Há 12 anos, tivemos a epidemia de H1N1, os Estados Unidos elegeram Barack Obama, o primeiro presidente negro, os estadunidenses tiveram permissão para ir ilimitadamente para Cuba, e o continente africano foi, pela primeira vez, visitado por um Papa.

Como isso interfere na vida e na Astrologia?

O alinhamento dos planetas pode trazer novas tendências financeiras, econômicas, sociais e de pensamento para os próximos meses. Esse movimento no céu tem um significado importante: para expandir (Júpiter) é necessário persistência (Saturno). Por isso, não espere que 2021 seja um ano calmo!

De acordo com a Astrologia, começa a Era de Aquário! Com Saturno em Aquário podemos dizer que temos pela frente dois anos de muitas mudanças, conflitos, questionamentos, avanços. O destaque fica com 2021 porque Saturno em Aquário faz quadratura com o regente deste signo. Isso tudo está explicado aqui nas previsões da Astrologia para 2021.

Já Júpiter em Aquário pode significar a expansão daquilo que é progressista, futurístico, tecnológico, quebra de padrões, é rebelde, renova e favorece grupos ou comunidades. E aqui mais um motivo para tornar 2021 raro: também tem quadratura entre Júpiter e Urano. Quer mais? Sol, Saturno e Júpiter (em Aquário) estarão em quadratura com Marte e Urano (em Touro, o signo que fala de seguranças e posses). Com isso, pode-se destacar a possibilidade de grande instabilidade, rebeldia e protestos no início do ano.

Saturno e Júpiter no mapa astral


Todas estas questões do trânsito de Júpiter e Saturno em Aquário vão se apresentar no seu Mapa Astral em 2021. Durante um ano, Júpiter pode expandir alguns assuntos, enquanto Saturno pede um olhar mais sério e trabalhoso sobre os temas que toca.

ASCENDENTE EM ÁRIES
Se você tem Ascendente em Áries, Júpiter e Saturno em Aquário podem tocar nos assuntos relacionados a grupos, coletivo, projetos para o futuro, inserção em algo maior, conexão com o coletivo.

ASCENDENTE EM TOURO
Carreira, objetivos, realizações, decisões importantes, visibilidade, destaque são temas que Júpiter e Saturno em Aquário podem destacar para quem tem Ascendente em Touro.

ASCENDENTE EM GÊMEOS
Estudos, oportunidades no Exterior, projetos de expansão, viagens, especializações, conhecimento são temas que quem tem Ascendente em Gêmeos pode ter de trabalhar durante Júpiter e Saturno em Aquário.

ASCENDENTE EM CÂNCER
Quem tem Ascendente em Câncer vai precisar dar atenção a dinheiro em sociedades, parcerias, finalizações, transformações, intimidade, sexualidade, crises enquanto Júpiter e Saturno estiverem em Aquário.

ASCENDENTE EM LEÃO
Relacionamentos, contatos, parcerias, pessoas em sua vida, socialização são temas que Júpiter e Saturno em Aquário podem tocar de quem tem Ascendente em Leão.

ASCENDENTE EM VIRGEM
Júpiter e Saturno em Aquário podem ativar questões sobre trabalho, saúde, cotidiano, hábitos, alimentação, organização, desempenho de tarefas, clientes para autônomos de quem tem Ascendente em Virgem.

ASCENDENTE EM LIBRA
Pessoas com Ascendente em Libra terão de dar atenção a lazer, realização pessoal, filhos, amores, autoestima, criatividade, identidade, diversão enquanto Júpiter e Saturno estiverem em Aquário.

ASCENDENTE EM ESCORPIÃO
Casa, família, pais, vida privada, intimidade, assuntos emocionais são temas que Júpiter e Saturno em Aquário podem tocar nas pessoas com Ascendente em Escorpião.

ASCENDENTE EM SAGITÁRIO
Se você tem Ascendente em Sagitário, poderá ter de lidar com comunicações, escritos, trabalho intelectual, relacionamento com irmãos, deslocamentos e plano mental durante Júpiter e Saturno em Aquário.

ASCENDENTE EM CAPRICÓRNIO
São temas de quem tem Ascendente em Capricórnio durante Júpiter e Saturno em Aquário: âmbito financeiro, ganhos, gastos, valores pessoais, assuntos práticos.

ASCENDENTE EM AQUÁRIO
Identidade, individualidade, começos, independência, corpo físico são temas que quem tem Ascendente em Aquário terá de lidar enquanto Júpiter e Saturno estiverem em seu signo.

ASCENDENTE EM PEIXES
Júpiter e Saturno em Aquário podem fazer quem tem Ascendente em Peixes ter de lidar com mundo interno, psiquismo, espiritualidade, insights, trabalho de bastidores.

Estrela de Belém?


Embora permaneçam separados por centenas de milhões de quilômetros no espaço sideral, os astros se encontrarão e se sobreporão no céu desta noite, formando a "Estrela de Belém" ou "Estrela do Natal", assim nomeada pela proximidade com a data que marca o nascimento de Jesus, celebrada em 25 de dezembro.

O último alinhamento entre os astros foi flagrado em 1623, por Galileu . Mas esta é a primeira vez que tornou-se visível a olho nu para qualquer habitante da Terra, desde 1226 . A "Estrela de Belém", portanto, não se forma no céu há anos.

A conjunção é considerada rara pelos astrônomos porque cada planeta tem seu próprio tempo para girar em torno do Sol. A translação de Júpiter, por exemplo, dura 12 anos, e a de Saturno, 30 — ambas são lentas.
Tecnologia do Blogger.