ENTREVISTA EXCLUSIVA: Mandato Coletivo "Nossa Voz" - PT - Itajubá-MG

Em 2021, as câmaras municipais no Brasil estão tendo mandatos coletivos em número recorde.

Nas eleições de 2012, o Brasil teve apenas três. Em 2016 foram 13. E nessas eleições: 257. Em 2020, 21 estados tiveram registros de candidaturas coletivas. São Paulo foi o campeão com 103, seguido de Pernambuco com 29, Rio de Janeiro 16, Roraima 15, Pará 14 e Minas Gerais com 13.


Vale ressaltar que duas cidades do Sul de Minas elegeram vereadores com mandatos "coletivos". Sendo Itajubá-MG e Machado-MG.

O mandato coletivo, ao invés de apenas um vereador, como normalmente acontece, o vereador eleito compartilha as decisões que vai tomar na Câmara Municipal com um grupo de pessoas que participaram da campanha.

É a primeira vez que Itajubá tem um mandato coletivo eleito, e isso é realmente significativo.
Os vereadores que compõem o grupo são Andressa Daiany Da Silva Arantes, Bruno Prudente Miranda, Hernane Joaquim Rodrigues de Andrade e Priscila Caroline Brandão Santos. Quem vai participar oficialmente das sessões é Andressa.


VEREADORES

Andressa Daiany Da Silva Arantes
Graduada em Enfermagem e Biologia, mestranda em Educação e Ciências. Atua como Professora na rede privada de ensino.


Bruno Prudente Miranda
Graduado em Administração e Mestrando em Desenvolvimento, Tecnologia e Sociedade.


Hernane Joaquim Rodrigues de Andrade
Formado em Administração e graduando em Serviço Social.


Priscila Caroline Brandão Santos 
Graduada em Direito. Atua como advogada.


ENTREVISTA

Como Surgiu a ideia do mandato Coletivo?

O Mandato Coletivo surgiu em uma conversa entre o Bruno e o Hernane. Os dois são amigos e ao trabalharem juntos, o Bruno leu à respeito, pesquisou um pouco e ficou encantado com esse formato de política participativa.

Como vocês se conheceram?

O Hernane foi o “Elo” do Coletivo, ele que conhecia os três mais profundamente, mas nós três também já nos conhecíamos por sempre estarmos em eventos comuns, sempre dividíamos os mesmos espaços, diversas vezes olhávamos pro lado e lá estava o quarteto. Acabamos nos unindo primeiro pelas pautas comuns, pelos ideais. Com o tempo, ficamos mais amigos e hoje somos um time!

É a primeira vez da política para todos? Se não, qual a experiência de cada um?

Enquanto coletivo, é a primeira vez que participamos das eleições. No entanto, devemos ressaltar que a Co-vereadora Andressa já foi vereadora mirim em 2007, um projeto de incentivo à participação política da juventude na cidade de Itajubá.

Como foi a Campanha? Tiveram dificuldades?

Nossa campanha foi na rua e nas redes sociais, precisávamos conversar com as pessoas, uma por uma, para explicar a proposta e alcançar o maior número de pessoas com nossa campanha. Foi muito intenso, nos preparamos por alguns meses, mas até o último dia de campanha trabalhamos muito.

Quanto às dificuldades, o fato das pessoas ainda não votarem em mulheres e jovens pode ter sido um problema além, é claro, do preconceito com o Partido dos Trabalhadores e Trabalhadoras (PT), mas claramente nosso mandato vem mostrando que estamos trabalhando com e para a população, basta dar uma olhada no site e nas sessões da Câmara.

Como está sendo os primeiros dias de mandato?

Nestes primeiros dois meses de mandato, já avançamos muito, são muitas demandas para serem atendidas e muitos novos procedimentos burocráticos a serem absorvidos rapidamente. Em nossa página fazemos mensalmente um resumo das nossas atividades, além de uma live no último domingo do mês para conversarmos sobre os temas apresentados e responder algumas perguntas.

Como vocês irão trabalhar ao longo desse mandato?

Como cada um tem uma profissão e atua especificamente em uma área, as demandas são captadas de acordo com o conhecimento e perfil de cada um, mas como sempre, tudo é ponderado e discutido dentro do Coletivo.

Além disso temos um instrumento de política participativa, o nosso “Conselho Popular do Coletivo”, um grupo de whatsapp, com pessoas que nos apoiam, mas que para além disso, um grupo de pessoas que querem participar verdadeiramente da política local.
Esse conselho é de caráter consultivo, lá nos colocamos temas atuais, projetos de lei que estão sendo discutidos, entre outras questões e ouvimos a opinião de todos.
A partir disso, todos os projetos, diálogos e ideias são direcionados de forma participativa e aberta.

Quais serão seus principais pontos trabalhados nesse mandato? 

O coletivo tem oito frentes de atuação principais:

1. Educação

2. Saúde

3. Cultura

4. Meio Ambiente e Sustentabilidade

5. Inclusão e Diversidade

6. Participação Popular

7. Esporte e Lazer.

8. Transporte e Mobilidade

Dentro dessas frentes, enfrentamos os mais diversos temas e pautas, partindo de um viés progressista, antirracista, feminista, anticapacitista, antilgbtqia+fóbico, ecologicamente sustentável e que respeita, da maneira mais diversa e inclusiva possível, corpos, pensamentos e territórios.

Vocês já apresentaram algum projeto de lei nos primeiros dias de mandato?

Nós apresentamos três projetos de lei de nossa autoria: Um sobre a obrigatoriedade de transparência da vacinação na população de Itajubá, outro sobre a regulamentação dos artistas de rua e o último sobre a contratação de comissionados da prefeitura baseada em critérios técnicos, não apenas políticos.

Como será a representação na Câmara Municipal de Itajubá?

A Representante legal é a Co-vereadora Andressa Daiany da Silva Arantes, sendo assim, ela é quem pode ocupar o espaço institucionalmente, porém estamos mapeando estratégias que contemplem a todos de maneira equitativa.

Enquanto mandato Coletivo, acreditamos que neste momento precisamos que a população e as instituições, neste caso especialmente a Câmara Municipal, entenda, acredite, aceite e institucionalize nossa presença enquanto Co-vereadores eleitos. Entendendo essa necessidade, cremos que o papel da linguagem é fundamental para que se crie na população um novo vocabulário político, que compreende o mandato Coletivo, suas atuais limitações e seus múltiplos benefícios nos mais diversos setores.

A mudança e introdução da linguagem pode se dar de diversas formas, alguns exemplos:

1. Os discursos da pauta do dia podem ser escritos por qualquer um dos quatro Co-vereadores e durante a leitura do mesmo, a Co-vereadora Andressa, dirá o nome do Co-vereador (a) que o escreveu.

2. Durante as votações utilizar termos como “Após deliberação do Coletivo, entendemos que sim/não”, ou “Eu Co-Vereadora Andressa, voto junto aos co-vereadores Bruno, Hernane e Priscila que sim/não.”

Conjuntamente à linguagem, temos a alma do nosso mandato Coletivo, a participação popular. Queremos entender as reais necessidades das pessoas para, com elas e a partir delas, deliberarmos.

Importante lembrar que nosso Mandato Coletivo acompanha os mais diversos coletivos à Câmara municipal, para que eles possam se apropriar e construir junto a nós politicas públicas efetivas.

Palavras ditas pelo coletivo

"Por fim gostaríamos de agradecer a oportunidade de apresentar essa nova forma de pensar e trabalhar política, para Piranguinho e Região, através do “Jornal o Aperitivo”.

E aproveitamos a oportunidade para pedir para que todos, todas e todes se cuidem, se protejam, usem máscaras, passem alcóol gel, lave as mãos e fiquem em casa o máximo que puderem!

O Mandato Coletivo é a favor da VIDA, se proteja e proteja quem você ama!"



A família do Jornal o Aperitivo parabeniza a iniciativa e o trabalha que já vem sendo desempenhado por todos os vereadores do mandato coletivo. Agradecemos pela entrevista, pois é sempre bom mostrar ao povo os seus representantes e como estão sendo feitos os seus trabalhos, independentemente de partido político.

Juntos pelo povo!!!
Que o mandato de todos os vereadores sejam em prol do povo sempre.

- Entrevista feita por
Patrícia Schimith
Tecnologia do Blogger.