Incêndio no Marrocos: mais de 700 hectares queimados, a mobilização continua

Isso continua segunda-feira na segunda-feira do Norte Marrocos Autoridades disseram que já tentaram controlar o incêndio, que destruiu 700 hectares de floresta em três dias. De acordo com repórteres da AFP no local, o incêndio foi extinto, com exceção de algumas superfícies queimadas dispersas e controladas.

Mais de 500 pessoas, incluindo bombeiros e veteranos, “ainda estão mobilizados para lidar com este incêndio”, disse Fout Assali, presidente da National Forest Climate Risk Management, ao jornal oficial MAP. Ele disse que cerca de 725 hectares de floresta perto da cidade turística de Chepstow (norte) já haviam sido queimados pelo incêndio no sábado. Os bombeiros são apoiados por “quatro aviões canadenses da Força Aérea Real e quatro aviões turbo trash do Royal Gendermary”, acrescentou Assali.

Uma investigação foi aberta para determinar a causa do incêndio, que não revelou as vítimas humanas. Pode ser desencadeada por alta temperatura e vento.

Onda de calor

UMA Onda de calor Temperaturas de até 49 graus cruzarão o país a partir de sexta-feira e continuarão até terça-feira, informou o Centro Meteorológico. A anterior onda de calor “excepcional” entre 9 e 11 de julho já havia “suportado a propagação de 20 incêndios” no estado, queimando 1.200 hectares de floresta, segundo a Secretaria de Águas e Florestas.

O Mediterrâneo tem sido assolado por incêndios nas últimas duas semanas, especialmente na Grécia, Turquia e Na vizinha ArgéliaMais de 90 pessoas foram mortas ou desaparecidas no incêndio desde segunda-feira passada.

O aquecimento do clima aumenta a probabilidade de ondas de calor e secas, que por sua vez causam incêndios.

READ  Ao vivo - Govit-19: O médico de emergência Patrick Belloux protege contra o uso de máscara, que é uma medida "útil".

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

Jornal O Aperitivo