janvier 21, 2022

Jornal O Aperitivo

Find all the latest articles and watch TV shows, reports and podcasts related to Portugal

Notícias inspiradoras para vacina e pílula anti-Govt da Pfizer – 14/12/2021 às 22h07

O comprimido anti-govt da Pfizer, se aprovado, será comercializado como Paxlovid (Pfizer / Folheto).

O comprimido anti-govt da Pfizer, se aprovado, será comercializado como Paxlovid (Pfizer / Folheto).

A notícia encorajadora para a Pfizer continua: a empresa farmacêutica confirmou na terça-feira que sua pílula anti-govt, quando tomada nos primeiros dias após o aparecimento dos sintomas, reduziu a hospitalização e a morte em quase 90% para aqueles em risco.

Um estudo realizado na África do Sul estimou individualmente que a vacina Pfizer como um todo é menos eficaz contra a variante Omigran, mas ainda protege contra 70% dos casos graves da doença.

Esse é um dado importante no momento em que essa variante altamente contagiosa, classificada como alarmante pela Organização Mundial da Saúde (OMS), se espalha pelo mundo.

A empresa norte-americana comercializa uma das vacinas Covid-19 mais utilizadas no planeta e, paralelamente, desenvolve terapia antiviral na forma de comprimidos em caso de infecção.

Este último, chamado Paxlovit, deve agir contra o Omigran de acordo com testes de laboratório, anunciou a Pfizer na terça-feira. Albert Borla, CEO da Pfizer, disse à CBS que o tratamento foi “muito, muito bom” contra Omigran.

“Esta notícia fornece outra ferramenta poderosa em nossa luta contra o vírus, incluindo a variante Omigron”, disse o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, lembrando que os Estados Unidos já haviam ordenado tratamento adequado para 10 milhões de americanos.

“Se este tratamento for realmente aprovado – e os comprimidos estiverem amplamente disponíveis – será um passo importante”, acrescentou.

– Acreditação em estudo –

Os resultados de desempenho fornecidos pela Pfizer na terça-feira são baseados em todos os participantes (mais de 2.200) em testes clínicos e confirmam que os resultados iniciais foram anunciados no início de novembro.

Nenhuma morte foi relatada entre os tratados, em comparação com 12 no grupo que recebeu o placebo. Os participantes não foram vacinados e tinham maior risco de desenvolver a doença grave de Govt-19.

O tratamento deve ser realizado a cada 12 horas, durante cinco dias.

Em detalhes, quando tratado dentro de três dias do início dos sintomas, o risco de hospitalização e morte foi reduzido para 89% e para 88% em cinco dias.

Albert Borla estimou que o tablet estaria disponível nos Estados Unidos “este mês” na CBS. A Pfizer anunciou anteriormente que havia buscado o credenciamento da Agência de Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) e que esses novos dados seriam incluídos no arquivo.

Separadamente, na terça-feira, a Pfizer divulgou os resultados iniciais dos testes, que desta vez mostraram uma redução de 70% nas admissões hospitalares de pacientes que não estavam em risco de desenvolver uma doença grave, mas os dados foram confirmados e os testes continuaram.

Os antivirais atuam reduzindo a capacidade de replicação de um vírus, reduzindo assim o risco de infecção. São muito aguardados porque são fáceis de gerir e podem ser levados para casa com um copo de água.

A Merck está desenvolvendo esse tipo de comprimido já aprovado no Reino Unido. Mas isso mostra uma redução de apenas 30% na hospitalização de pacientes em risco e na taxa de mortalidade em ensaios clínicos. Apesar do feedback positivo do painel de especialistas no final de novembro, o FDA ainda não o aprovou nos Estados Unidos.

– Proteção vacinal –

Na África do Sul, o primeiro país a detectar omigran, um estudo da eficácia da vacina Pfizer de duas doses contra essa variante foi conduzido usando 78.000 testes de PCR positivos.

O estudo mostra uma eficácia de 33% contra o risco de contaminação, com elevado número de reinfecções. Esta é uma queda clara de 80% de proteção contra infecções da variante delta dominante anterior.

Esses dados são baseados em um estudo britânico anterior, que os especialistas afirmam ressaltar a eficácia da terceira dose da vacina.

Mas a vacina ainda era 70% contra o tratamento hospitalar (até 93% contra o delta), disseram pesquisadores sul-africanos, que ainda é considerada significativamente mais segura.

De acordo com um estudo da Discovery, primeira seguradora privada de saúde do país, com cientistas do Conselho de Pesquisa Médica da África do Sul (SAMRC), essa proteção é mais visível para todas as idades.

Glenda Gray, presidente da empresa pública de pesquisa médica SAMRC, descreveu os resultados como “muito encorajadores”, lembrando que “a vacina é projetada para proteger contra hospitalização e morte”.

“Apesar dos casos menos graves, o nível de poluição nos sistemas de saúde pode ser alto, dada a rápida disseminação do omigran”, advertiu o presidente do Discovery, Ryan Noch.

Estoque

READ  Não houve progresso após as novas negociações entre o governo e o Taleban