septembre 19, 2021

Jornal O Aperitivo

Find all the latest articles and watch TV shows, reports and podcasts related to Portugal

O Fundo de Compensação diz que mais pessoas morreram de doenças relacionadas a ataques do que de ataques

O fundo recebeu 3.900 reivindicações em nome do falecido e um total de mais de 67.000 reivindicações.

Escreveu o artigo

Postou

Atualizar

Tempo de estudo: 1 minuto.

Esta é a segunda jogada em 20 anos desde 11 de setembro. Além dos mortos no mesmo dia desses ataques, outras pessoas desenvolveram doenças associadas aos ataques, principalmente o desabamento das torres do World Trade Center em Nova York. Os últimos agora estão em maior número Um comunicado do Fundo de Compensação às Vítimas divulgado na terça-feira, 7 de setembro.

O número total de mortos nos ataques da Al Qaeda ao World Trade Center e ao Pentágono e a queda do vôo 93 da United Airlines é estimado em quase 3.000.

No entanto, desde 2011 o fundo está aberto para quem está na área e, posteriormente, para quem desenvolveu a doença, arrecadando mais de 67 mil solicitações, incluindo 3.900 em nome do falecido.

“Isso significa que o número de mortes por doenças relacionadas ao 11 de setembro agora é maior do que o número de mortes no 11 de setembro.”, Rupa Bhattacharya, Gerente de Finanças, sublinhado.

Até o momento, mais de 41.000 arquivos são considerados legais, dos quais 2.131 são relativos aos falecidos e 900 são protocolados a cada mês.

A maioria dos pedidos veio de pessoas que moram ou trabalham perto das Torres Gêmeas do World Trade Center em Nova York, cujo bairro tóxico vem emitindo fumaça tóxica há semanas.

Quase metade dos arquivos está relacionada a casos de câncer. Esse tipo de doença apareceu entre os bombeiros e pessoas que retiraram os escombros após o 11 de setembro, o que motivou a expansão desses recursos aos pacientes, que inicialmente estavam abertos aos sobreviventes do ataque e parentes das vítimas.

Artigos No mesmo assunto

Visto da europa

Todos os dias, Francinefo seleciona conteúdos de meios audiovisuais públicos europeus e membros do Eurovision. Este conteúdo é publicado em inglês ou francês.