octobre 17, 2021

Jornal O Aperitivo

Find all the latest articles and watch TV shows, reports and podcasts related to Portugal

San Marino legaliza aborto

Quarenta e três anos depois da vizinha Itália, uma pequena parte de San Marino votou no domingo, 26 de setembro, pela legalização do aborto. De acordo com resultados provisórios divulgados pelo Ministério do Interior, 77% dos eleitores neste minúsculo estado, com uma forte tradição católica, concordaram em dar às mulheres a opção gratuita de fazer um aborto por até doze semanas. Se a vida da mãe estiver ameaçada ou se forem encontradas anormalidades, consulte esses resultados associados a 33 das 37 seções de votação.

O artigo é reservado para nossos assinantes Consulte Mais informação Berenger Marx-Pereira: “Impedir que uma mulher faça um aborto põe em causa o seu direito à saúde”

A pesquisa, conduzida entre 35.411 eleitores, foi retomada em 2019 por iniciativa da ressuscitada Associação de Mulheres de San Marino (UDS) entre os anos 1970 e 1980. Até então, o aborto é crime punível com pena de até três anos para a mulher e até seis anos para o médico que o praticou. Mas, na realidade, não há penalidade para as mulheres de San Marino que vão para a Itália para o aborto, violando assim a lei.

San Marino foi um dos últimos estados da Europa – junto com Malta, Andorra e o Vaticano – a proibir completamente o aborto, mesmo que houvesse risco de estupro, relação sexual, doença fetal ou risco materno. Outra fortaleza anti-aborto, Gibraltar, relaxou suas leis após um referendo em junho.

O mundo

READ  Inundações na Alemanha: o número de mortos sobe para 180, 150 ainda desaparecidos